Luso-americano foi um dos dez republicanos a votar contra Trump

Mesmo já falando muito pouco português, o congressista mantém uma forte ligação a Portugal e na altura recordou com saudade das férias nos Açores quando era criança ou o avô, José Grande da Ribeirinha, de quem herdou a estatura

David Valadao disse ao Los Angeles Times ter “votado com a consciência” a favor da destituição do presidente Donald Trump. Foi um dos dez republicanos da Câmara dos Representantes a juntar-se à maioria democrata no voto que visa punir Trump pelo incentivo ao assalto ao Capitólio na semana passada, no dia que em era oficializada a vitória presidencial de Joe Biden.

Apesar de o processo de impeachment de Trump (o segundo já) ter sido aprovado por 232 votos contra 197 na Câmara dos Representantes é improvável que 17 dos 50 senadores republicanos votem de forma a garantir a maioria de dois terços necessária. Trump termina o mandato dia 20 e disse já que não assistirá à tomada de posse do democrata Biden.

Há quatro congressistas luso-americanos, dois deles republicanos. E se Valadao votou contra Trump, já Devin Nunes, também de origem açoriana, continua fiel ao presidente, que recentemente até o condecorou.

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.

Subscrever Filho de açorianos da ilha Terceira, Valadao falou com o DN em janeiro de 2018, quando aceitou participar no projeto Pela América do Tio Silva, que conta as histórias de portugueses e luso-descendentes de sucesso nos EUA.

Mesmo já falando muito pouco português, o congressista mantém uma forte ligação a Portugal e na altura recordou com saudade das férias nos Açores quando era criança ou o avô, José Grande da Ribeirinha, de quem herdou a estatura.

Trump recusa reconhecer derrota a 3 de novembro e insiste em denunciar fraude na contagem dos votos.