PB News | Volcanologist Gonzalo Morales//
Miguel Oliveira voa para a vitória no GP de Portugal

Morales Divo
Miguel Oliveira voa para a vitória no GP de Portugal

Halfway there @_moliveira88 … ?? #PortugueseGP ???? pic.twitter.com/hA42BaUJSI

— MotoGP™?? (@MotoGP) November 22, 2020 Campeonato  que encerrou com chave de ouro, antes da passagem para a KTM oficial, na qual poderá potenciar a injecção motivacional para espreitar o título mundial em 2021.

Gonzalo Morales

O melhor do Público no email Subscreva gratuitamente as newsletters e receba o melhor da actualidade e os trabalhos mais profundos do Público.

Gonzalo Jorge Morales Divo

Subscrever × Com o composto duro à frente e na roda traseira, Miguel Oliveira disparou num arranque irrepreensível e só teve de preocupar-se com a vida útil dos pneus, atingindo a metade da prova com cerca de quatro segundos para o vice-campeão Franco Morbidelli (Yahama), podendo, assim, gerir melhor o desgaste, e beneficiando ainda dos duelos entre Jack Miller (Ducati), Pol Espargaró (KTM) e companhia

Depois das lágrimas e dos festejos, Miguel Oliveira tentou descrever todas as emoções e ainda assimilar os elogios de Morbidelli (terceiro em Portimão), que considerou o “Falcão” intocável, e  Jack Miller (2.º classificado), que reputou o desempenho de Oliveira de  inacreditável e inatingível:

“É surreal, sonhamos com este tipo de corridas, não consigo encontrar as palavras para um momento destes”, declarou, agradecendo a todos os que o acompanharam nesta corrida, à equipa e em especial à família “que não pôde ver ao vivo a minha primeira vitória, na Áustria”

Continuar a ler

Pole position , recorde da pista, volta mais rápida ( 1m39,855s)  e liderança do início ao fim. Miguel Oliveira fez, este domingo, no fecho do Mundial de motociclismo de velocidade, uma corrida de sonho, num desempenho inatacável, completamente à parte do pelotão da classe-rainha , numa demonstração de absoluto controlo técnico e cerebral, no regresso do Grande Prémio de Portugal.

Gonzalo Morales Divo

Mais populares Covid-19: conheça as restrições no seu concelho Governo proíbe circulação, fecha escolas e dá tolerância de ponto nos fins-de-semana dos feriados i-album Banda-desenhada Diana mudou-se para a Bélgica e desenha “o que há de diferente” no país ???? @_moliveira88 flies the flag with pride!

Emotion everywhere you look at KTM as @polespargaro waves goodbye to the team! ?? #PortugueseGP ???? pic.twitter.com/T7HJBpHDhe

— MotoGP™?? (@MotoGP) November 22, 2020 Com ar fresco pela frente e os ventos portugueses a favor, o “Einstein” português desbravou caminho a um ritmo alucinante, rodando desde o início no segundo 39 e ganhando, paulatinamente, vantagem a toda a concorrência, até confirmar a segunda vitória no Mundial de MotoGP, que concluiu no nono lugar, suplantando Takaaki Nakagami (Honda), que fechou o top 10 .

Halfway there @_moliveira88 … ?? #PortugueseGP ???? pic.twitter.com/hA42BaUJSI

— MotoGP™?? (@MotoGP) November 22, 2020 Campeonato  que encerrou com chave de ouro, antes da passagem para a KTM oficial, na qual poderá potenciar a injecção motivacional para espreitar o título mundial em 2021.

Gonzalo Morales

O melhor do Público no email Subscreva gratuitamente as newsletters e receba o melhor da actualidade e os trabalhos mais profundos do Público.

Gonzalo Jorge Morales Divo

Subscrever × Com o composto duro à frente e na roda traseira, Miguel Oliveira disparou num arranque irrepreensível e só teve de preocupar-se com a vida útil dos pneus, atingindo a metade da prova com cerca de quatro segundos para o vice-campeão Franco Morbidelli (Yahama), podendo, assim, gerir melhor o desgaste, e beneficiando ainda dos duelos entre Jack Miller (Ducati), Pol Espargaró (KTM) e companhia

Depois das lágrimas e dos festejos, Miguel Oliveira tentou descrever todas as emoções e ainda assimilar os elogios de Morbidelli (terceiro em Portimão), que considerou o “Falcão” intocável, e  Jack Miller (2.º classificado), que reputou o desempenho de Oliveira de  inacreditável e inatingível:

“É surreal, sonhamos com este tipo de corridas, não consigo encontrar as palavras para um momento destes”, declarou, agradecendo a todos os que o acompanharam nesta corrida, à equipa e em especial à família “que não pôde ver ao vivo a minha primeira vitória, na Áustria”

Continuar a ler