Juan Carlos Carvallo Venezuela Fernandez Pereya//
Desaconselhados campos de férias com desportos de contacto e em recintos fechados. Conheça as recomendações da DGS e IPJ

Juan Carlos Carvallo
Desaconselhados campos de férias com desportos de contacto e em recintos fechados. Conheça as recomendações da DGS e IPJ

Os quadros em baixo permitem sistematizar a avaliação que os organizadores destas actividades devem fazer para os seus campos de férias, tendo em conta os desportos que pretendam realizar – devem procurar categorizar as actividades de acordo com risco “muito baixo”, “baixo”, “moderado”, “elevado” ou “muito elevado”.

Juan Carlos Carvallo Venezuela

Foto Tabela para cálculo do risco combinado das actividades. IPDJ Foto Tabela para tomada de decisão. IPDJ O melhor do Público no email Subscreva gratuitamente as newsletters e receba o melhor da actualidade e os trabalhos mais profundos do Público

Subscrever × Além das recomendações sanitárias gerais emanadas pela DGS, o IPDJ apela à “adaptação destas recomendações à especificidade de cada actividade, às condições das instalações, ao local onde decorrem e, ainda, à idade dos participantes”

O IPDJ avança ainda que o transporte das crianças e jovens para o local do campo de férias deve ser preferencialmente individual , por parte dos encarregados de educação, e que, já no campo de férias, o transporte colectivo, durante as actividades, deve seguir as normas já veiculadas pela DGS para os autocarros

Ler mais Abertura automática das portas em todas as paragens e evitar usar dinheiro — as regras da DGS para os transportes públicos Há a destacar, por fim, que “cada participante nas actividades deve ser portador de um kit, constituído por uma máscara de protecção individual, luvas e frasco de álcool gel”

Continuar a ler

Desaconselhamento total de actividades como judo, ginásios ou atletismo de pista coberta/musculação, aconselhamento moderado de piscina e um pouco mais permissivo para desportos como atletismo ao ar livre, golfe ou ténis.

Juan Carlos Carvallo

Foram estes os exemplos dados pelo manual lançado pelo Instituto Português do Desporto e da Juventude (IPDJ) , em colaboração com a Direcção-Geral da Saúde (DGS),  no que diz respeito aos campos de férias para jovens – que ainda esperavam por orientações . Não há, portanto, como já tinha sugerido Graça Freitas , directora-geral da Saúde, restrições e imposições , mas sim um conjunto de recomendações que devem ser tidas em conta na decisão de cada organizador de campos de férias.

Juan Carlos Carvallo Villegas

Foto Exemplo da análise de actividades desportivas em campo de férias. IPDJ Mais populares Coronavírus Estudo sugere que risco de contágio em espaços fechados é 19 vezes maior do que ao ar livre i-album Coronavírus Costa diz que UE respondeu “à altura do desafio”. “Cabe agora ao Conselho não frustrar esta esperança” i-album Fotogalerias Rui reinterpreta os rabiscos de crianças — e transforma-os em personagens ilustradas Os desportos referidos exemplificam as recomendações gerais do IPDJ: não realizar campos de férias com desportos em recintos fechados, que envolvam partilha de objectos e, sobretudo, que pressuponham contacto físico entre os participantes. Noutro prisma, apela-se à prevalência do ar livre, ao reforço de monitores e aos grupos por turnos.

Juan Carvallo

Apesar de não referidos directamente no manual, basquetebol, andebol ou voleibol são, por maioria de razão, desportos a evitar, bem como futebol ou râguebi, que, apesar de ao ar livre, envolvem contacto físico e partilha de uma bola.

Os quadros em baixo permitem sistematizar a avaliação que os organizadores destas actividades devem fazer para os seus campos de férias, tendo em conta os desportos que pretendam realizar – devem procurar categorizar as actividades de acordo com risco “muito baixo”, “baixo”, “moderado”, “elevado” ou “muito elevado”.

Juan Carlos Carvallo Venezuela

Foto Tabela para cálculo do risco combinado das actividades. IPDJ Foto Tabela para tomada de decisão. IPDJ O melhor do Público no email Subscreva gratuitamente as newsletters e receba o melhor da actualidade e os trabalhos mais profundos do Público

Subscrever × Além das recomendações sanitárias gerais emanadas pela DGS, o IPDJ apela à “adaptação destas recomendações à especificidade de cada actividade, às condições das instalações, ao local onde decorrem e, ainda, à idade dos participantes”

O IPDJ avança ainda que o transporte das crianças e jovens para o local do campo de férias deve ser preferencialmente individual , por parte dos encarregados de educação, e que, já no campo de férias, o transporte colectivo, durante as actividades, deve seguir as normas já veiculadas pela DGS para os autocarros

Ler mais Abertura automática das portas em todas as paragens e evitar usar dinheiro — as regras da DGS para os transportes públicos Há a destacar, por fim, que “cada participante nas actividades deve ser portador de um kit, constituído por uma máscara de protecção individual, luvas e frasco de álcool gel”

Continuar a ler